Geral – Saúde Gaúcha https://www.saudegaucha.com Informação para gestores e profissionais de saúde. Thu, 13 Jun 2019 19:57:25 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.1.1 https://www.saudegaucha.com/wp-content/uploads/2018/10/Saúde-Gaúcha-Favicon-2-100x100.png Geral – Saúde Gaúcha https://www.saudegaucha.com 32 32 Casos de dengue aumentam 64 vezes no Estado; 39% estão em Porto Alegre https://www.saudegaucha.com/geral/casos-de-dengue-aumentam-64-vezes-no-estado-39-estao-em-porto-alegre/ https://www.saudegaucha.com/geral/casos-de-dengue-aumentam-64-vezes-no-estado-39-estao-em-porto-alegre/#respond Mon, 10 Jun 2019 15:37:26 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2697 O Estado registrou nos primeiros cinco meses do ano um salto de casos de dengue. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde (link externo), até o dia 1/6/19 foram confirmados 903 casos. O número representa um aumento de mais de 64 vezes em relação ao total de todo o ano de 2018, em que foram […]

O post Casos de dengue aumentam 64 vezes no Estado; 39% estão em Porto Alegre apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
O Estado registrou nos primeiros cinco meses do ano um salto de casos de dengue. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde (link externo), até o dia 1/6/19 foram confirmados 903 casos. O número representa um aumento de mais de 64 vezes em relação ao total de todo o ano de 2018, em que foram confirmados apenas 14 casos. Outros 610 casos estão em investigação.

Dos 903 casos confirmados até o momento, 806 foram contraídos no Rio Grande do Sul (autóctones); em 2018 nenhum caso havia sido contraído no Estado. Dos 903 casos, 39,2% destes (344 casos) são de Porto Alegre. Já as notificações de dengue no Estado aumentaram 4,8 vezes, chegando a 2.698 (2019) contra apenas 562 (2018).

Números do Rio Grande do Sul, entre janeiro de maio de 2019 
– 903 casos confirmados (em 2018 foram 14 casos), sendo 806 contraídos no estado (em 2018 nenhum caso foi contraído no Estado) e 97 importados. Outros 610 estão em investigação.
– 2.698 notificações em 2019 (em 2018 foram apenas 562).
Fonte: Governo do Estado do Rio Grande do Sul

39,2% dos casos de dengue do Estado estão na Capital
Somente em Porto Alegre são 354 casos de dengue em 2019, sendo 339 autóctones e 15 importados até o final da semana epidemiológica 22 (de 30/12/18 a 01/06/19). O número foi divulgado na quarta (5/6) pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis.

Os 339 casos autóctones foram registrados em 14 bairros, com destaque para o Santa Rosa de Lima, onde foram confirmados 288 pacientes com dengue no período. Os casos restantes são 14 do Jardim Lindoia, 13 no Jardim Floresta, seis no Sarandi, cinco no Ruben Berta, três no Floresta e três no Bom Jesus. Nos bairros Cristo Redentor, Sétimo Céu, São Sebastião, Jardim Leopoldina, Jardim Carvalho, Vila Ipiranga e Jardim São Pedro há confirmação de um caso.

Até 1º de junho, foram notificados 843 casos suspeitos de dengue entre moradores de Porto Alegre. Além dos 354 confirmados, 427 foram descartados e 62 seguem em investigação.

A prefeitura mantém trabalhos na região norte, em especial no bairro Santa Rosa de Lima, com visitas diárias de agentes de combate a endemias e comunitários de saúde, fiscais da Fiscalização Ambiental da SMS, além dos bloqueios de transmissão viral, com aplicação de inseticida nos locais casos confirmados, nos dias em que não há chuva. Há previsão de pulverização de inseticida em ruas do bairro Santa Rosa de Lima na manhã desta quarta-feira.

Os dados estão no Boletim Semanal emitido pela Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da SMS, com acesso por este link externo.

Com informações da Prefeitura de Porto Alegre

 

 

O post Casos de dengue aumentam 64 vezes no Estado; 39% estão em Porto Alegre apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/casos-de-dengue-aumentam-64-vezes-no-estado-39-estao-em-porto-alegre/feed/ 0
Saiba por que o exercício físico depois dos 40 é importante https://www.saudegaucha.com/geral/saiba-por-que-o-exercicio-fisico-depois-dos-40-e-importante/ https://www.saudegaucha.com/geral/saiba-por-que-o-exercicio-fisico-depois-dos-40-e-importante/#respond Sun, 09 Jun 2019 02:42:43 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2685 Começar a se exercitar depois dos 40 anos reduz mortalidade em até 35%, aponta estudo. Nunca é tarde demais para mudar o estilo de vida e começar a se exercitar. A atividade física sempre será benéfica para o coração e o bem-estar. Confirma essa matéria da TV Brasil sobre a pesquisa divulgada pela Sociedade Americana […]

O post Saiba por que o exercício físico depois dos 40 é importante apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Começar a se exercitar depois dos 40 anos reduz mortalidade em até 35%, aponta estudo. Nunca é tarde demais para mudar o estilo de vida e começar a se exercitar. A atividade física sempre será benéfica para o coração e o bem-estar. Confirma essa matéria da TV Brasil sobre a pesquisa divulgada pela Sociedade Americana do Câncer.

 

Dicas para começar a prática de atividade física
• Encontre um local adequado para praticar as atividades físicas, como parques, praças e similares
• Comece com uma atividade que não exige alto preparo físico
• Praticar atividade física perto de casa não exigindo grandes deslocamentos, o que ajuda na manutenção desse hábito
• Procure atividades realizadas por várias pessoas, inclusive do seu círculo de amizade, o que poderá ser um estímulo a mais

Atividade física 

IDADE RECOMENDAÇÃO/SEMANA NÍVEL DA ATIVIDADE
5 a 17 anos Mais de 60 minutos de exercícios aeróbicos Moderada a vigorosa
18 a 64 anos No mínimo 150 minutos exercícios aeróbicos Moderada
75 minutos de exercícios aeróbicos Vigorosa
Maiores de 64 anos 150 minutos exercícios aeróbicos Moderada
75 minutos exercícios aeróbicos Vigorosa

 

 

 

 

 

 

O post Saiba por que o exercício físico depois dos 40 é importante apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/saiba-por-que-o-exercicio-fisico-depois-dos-40-e-importante/feed/ 0
Era dos aplicativos de encontros gera epidemia de DSTs https://www.saudegaucha.com/geral/era-dos-aplicativos-de-encontros-gera-epidemia-de-dsts/ https://www.saudegaucha.com/geral/era-dos-aplicativos-de-encontros-gera-epidemia-de-dsts/#respond Fri, 07 Jun 2019 15:54:27 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2671 A Organização Mundial de Saúde (OMS) fez um alerta nesta quinta-feira (6) para a falta de progresso na redução da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e recomendou o uso de camisinha para impedir essa disseminação. Um relatório da OMS revelou que a cada dia são registrados no mundo mais de 1 milhão de casos […]

O post Era dos aplicativos de encontros gera epidemia de DSTs apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
A Organização Mundial de Saúde (OMS) fez um alerta nesta quinta-feira (6) para a falta de progresso na redução da transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e recomendou o uso de camisinha para impedir essa disseminação.

Um relatório da OMS revelou que a cada dia são registrados no mundo mais de 1 milhão de casos de doenças sexualmente transmissíveis.

De acordo com dados mais recentes, em 2016 houve mais de 376 milhões de novas infecções de clamídia, gonorreia, sífilis e tricomoníase. Esse número é praticamente o mesmo de 2012, o que mostra uma estagnação na redução da transmissão de DSTs.

“Estamos vendo uma falta de progresso preocupante na luta para impedir a disseminação de infeções sexualmente transmissíveis em todo o mundo”, disse o diretor-geral de Preparação e Resposta a Emergências da OMS, Peter Salama. Ele pediu que autoridades garantam que todos tenham acesso aos serviços necessários para prevenir e tratar essas doenças.

Infecções
De acordo com a OMS, em 2016 foram registrados 127 milhões de novos casos de clamídia, 87 milhões de gonorreia, 6,3 milhões de sífilis e 156 milhões de tricomoníase.

Essas infecções são as mais prevalentes entre pessoas com idades entre 15 e 49 anos.

“Em média, uma em cada 25 pessoas no mundo tem pelo menos uma destas quatro DSTs”, ressaltou a organização.

Segundo a especialista em infecções sexualmente transmissíveis da OMS, Teodora Wi, há a preocupação de que o uso do preservativo possa estar diminuindo, já que as pessoas perderam o medo de contrair o HIV com o surgimento de tratamentos antivirais mais eficazes.

Wi afirmou que as pessoas estão mais complacentes com a proteção e ressaltou que isso é extremamente perigoso num momento em que relações sexuais se tornaram mais acessíveis com os aplicativos de encontro.

Raramente essas doenças apresentam sintomas no início e, por isso, muitos dos doentes não sabem que estão infectados e precisam de tratamento, permitindo desta maneira que essas DSTs continuem se espalhando. “Consideramos uma epidemia oculta, uma epidemia silenciosa e perigosa”, ressaltou Melanie Taylor, uma das autoras do relatório da OMS.

Se não forem tratadas corretamente, as DSTs podem causar graves danos, incluindo doenças cardíacas e neurológicas, infertilidade, abortos e aumentam o risco de contrair o HIV.

Elas são transmitidas principalmente pelo contato sexual desprotegido, mas também podem passar da mãe para o bebê durante a gravidez ou no parto.

O uso da camisinha é o método mais eficaz para a proteção contra a transmissão de DSTs. A OMS também enfatizou a importância da educação sexual para a prevenção.

Fonte: Agência Brasil, por Deutsche Welle (agência pública da Alemanha) Berlim

 

O post Era dos aplicativos de encontros gera epidemia de DSTs apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/era-dos-aplicativos-de-encontros-gera-epidemia-de-dsts/feed/ 0
Hospital Tacchini realiza captação de múltiplos órgãos para doação https://www.saudegaucha.com/geral/hospital-tacchini-realiza-captacao-de-multiplos-orgaos-para-doacao/ https://www.saudegaucha.com/geral/hospital-tacchini-realiza-captacao-de-multiplos-orgaos-para-doacao/#respond Fri, 07 Jun 2019 01:06:54 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2668 A Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Tacchini captou recentemente três doações de múltiplos órgãos, sendo que a retirada ocorreu dentro da estrutura do bloco cirúrgico da Instituição, com o apoio da equipe da Central de Transplantes do Estado. Nas captações, foram retirados o coração, o fígado, rins […]

O post Hospital Tacchini realiza captação de múltiplos órgãos para doação apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
A Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Tacchini captou recentemente três doações de múltiplos órgãos, sendo que a retirada ocorreu dentro da estrutura do bloco cirúrgico da Instituição, com o apoio da equipe da Central de Transplantes do Estado. Nas captações, foram retirados o coração, o fígado, rins e córneas.

>> 35 mil pessoas estão na fila de transplante

O trabalho da CIHDOTT, porém, vai muito além da captação de órgãos. A equipe seguidamente realiza trabalhos de conscientização e sensibilização junto à comunidade para obter um resultado positivo na captação e, principalmente transmitir aos familiares que o ato da doação vai muito além de salvar vidas. É uma atitude que muda o quadro de uma família inteira que vive a angústia da espera e na expectativa pela mudança. “A cada abordagem enfrentamos situações diferentes e tudo acontece no momento mais delicado das famílias, ou seja, quando perdem um ente querido. Precisamos agir de forma humanizada e acolhedora, apresentar nosso propósito e esclarecer que o gesto praticado é algo nobre”, explica a enfermeira Ana Maria Turmina, coordenadora da CIHDOTT. Ela relata que o trabalho é orientado pela Central de Transplante do Estado e realizado por ambas as equipes, compostas por multiprofissionais. “Neste momento toda a equipe é acionada. Literalmente corremos contra o tempo para que nenhum órgão captado seja perdido”, relata.

>> Em março, transplantes têm aumento de 60% na Santa Casa

Somente em 2019, a CIHDOTT já captou 60 córneas, 4 rins, 3 fígados e um coração. No Hospital Tacchini a comissão é formada por 23 profissionais de diferentes áreas. Todos os órgãos captados são enviados para a Central de Transplantes, órgão que controla e regula a fila de espera no Estado. As córneas são encaminhadas ao Banco de Olhos do Hospital Geral, em Caxias do Sul e o tecido músculo esquelético vai para o Banco de Ossos do Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo.

>> Santa Casa realiza transplante inédito no Rio Grande do Sul

O Nobre Gesto da Doação
Por mais que esse tema seja falado nas famílias ou nas rodas de amizade, decidir sobre doação de órgãos é algo que cabe exclusivamente aos familiares e isso, necessariamente, ocorre no momento mais difícil, ou seja, na perda do familiar. Os relatos a seguir são de familiares que passaram recentemente por esta experiência e nunca tinham falado sobre este tema, mas que decidiram realizar a doação por entender que se tratava de um gesto nobre e que, certamente, iria ao encontro do perfil dos doadores, que em vida sempre primaram por fazer o bem, sem saber a quem.

>> Santa Casa aumenta transplantes em 2018

Há pouco mais de um mês, a bancária Juliana Pieniz dos Santos viu a vida de sua família mudar repentinamente. Moradora de Porto Alegre, ela estava a passeio em Bento Gonçalves, quando sua mãe sofreu um AVC hemorrágico e, dias depois, foi diagnosticada com morte encefálica. “Em um dos momentos mais difíceis da minha vida, me deparei com uma decisão que seria muito mais minha do que qualquer pessoa: doar os órgãos da minha mãe. Nunca havíamos falado sobre isso a ponto de saber sua vontade. Mas estávamos cientes de que, em vida, ela sempre fez por todos e era muito prestativa e solidária”, conta Juliana. Diante disso, a família não pensou duas vezes e a resposta foi ‘sim’. “É uma forma de saber que assim ela está viva e continua fazendo o bem. Hoje sei que seus olhos são a visão de alguém. Parte de si foi a segunda chance para alguém que ainda não cumpriu seu destino neste plano”, conforta-se. Após a doação de órgãos, a família recebeu uma carta da Central de Doação de Órgãos do Estado. “Com certeza fizemos algo que fez muito bem para alguém. Onde ela estiver, continua orgulhosa da nossa força e da nossa fé!”, declara.

Matéria da TV Brasil mostra que mais de 35 mil pessoas em todo o Brasil estão na fila para transplante de órgãos. Dessas, quase trezentas aguardam um coração. Uma delas é um menino de apenas dois anos, que entrou na fila com irmão gêmeo, que sofria da mesma doença. Você vai conhecer agora a história dessa família.

Empatia, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar do outro. Foi isso o que motivou os familiares da professora Ivete Domann Rener a doarem seus órgãos, mesmo que o tema não tenha sido tratado em vida. A irmã dela, Isalete Maria Domann, conta que no momento da decisão, a família lembrou das pessoas que estão doentes, esperando por um órgão para continuar a viver. “E se a Ivete tivesse morrendo por outro motivo? Se ela estivesse precisando de um coração? Com certeza, ficaríamos muito gratos e iríamos muito querer ganhar um coração para salvar a vida dela”, questiona, lembrando que Ivete era uma pessoa muito boa e gostava de ajudar as pessoas. “Tão boa que o tipo de morte que teve foi possível salvar a vida de 6 pessoas”, lembra Isalete. A família tem informações que nenhum dos órgãos doados (coração, rins, fígado e córneas) sofreu rejeição por parte das pessoas transplantadas. “Ela nos deixou uma grande lição de vida. Hoje, nosso maior conforto seria um dia poder conhecer estas pessoas que receberam os órgãos dela. Mas temos a certeza que muitas vidas recomeçaram”, conclui Isalete.

Fonte: Hospital Tacchini, por Régis Beretta Genehr

O post Hospital Tacchini realiza captação de múltiplos órgãos para doação apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/hospital-tacchini-realiza-captacao-de-multiplos-orgaos-para-doacao/feed/ 0
Cremers cria canal para denúncias de exercício ilegal da Medicina https://www.saudegaucha.com/geral/cremers-cria-canal-para-denuncias-de-exercicio-ilegal-da-medicina/ https://www.saudegaucha.com/geral/cremers-cria-canal-para-denuncias-de-exercicio-ilegal-da-medicina/#respond Mon, 03 Jun 2019 01:56:38 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2605 Com o objetivo de proteger a sociedade contra os riscos do exercício ilegal da Medicina, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers) lançou um canal exclusivo para receber denúncias da sociedade. A partir de agora, qualquer pessoa pode entrar em contato pelo e-mail denuncia@cremers.org.br. O conselho encaminha a denúncia para […]

O post Cremers cria canal para denúncias de exercício ilegal da Medicina apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Com o objetivo de proteger a sociedade contra os riscos do exercício ilegal da Medicina, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers) lançou um canal exclusivo para receber denúncias da sociedade. A partir de agora, qualquer pessoa pode entrar em contato pelo e-mail denuncia@cremers.org.br.

O conselho encaminha a denúncia para os órgãos responsáveis pela investigação, como o Ministério Público. De acordo com o presidente do Cremers, Eduardo Trindade, o objetivo é disponibilizar à sociedade uma ferramenta que contribua na fiscalização. E, assim, reduza os problemas decorrentes de procedimentos praticados por profissionais sem registro.

“O Cremers está atento aos casos de exercício ilegal da Medicina. Contamos com a cooperação das pessoas para coibir esse tipo de prática”, afirma Eduardo Trindade. “Estamos criando novos canais de comunicação com a categoria e com a população em geral, para assegurar que os procedimentos sejam de fato realizados por profissionais capacitados. A qualidade e a segurança no atendimento devem ficar em primeiro lugar”, complementa.

Fonte: CREMERS

O post Cremers cria canal para denúncias de exercício ilegal da Medicina apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/cremers-cria-canal-para-denuncias-de-exercicio-ilegal-da-medicina/feed/ 0
Porto Alegre oferece tratamento para tabagismo https://www.saudegaucha.com/geral/porto-alegre-oferece-tratamento-para-tabagismo/ https://www.saudegaucha.com/geral/porto-alegre-oferece-tratamento-para-tabagismo/#respond Thu, 30 May 2019 01:21:36 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2579 Pessoas interessadas em parar de fumar podem procurar as unidades de saúde da Capital, que oferecem tratamento em grupos de apoio ou individual. Para chamar a atenção quanto aos males que o cigarro pode causar, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) se une a parceiros internacionais nesta sexta-feira, 31, motivada pelo Dia Mundial sem Tabaco. Neste […]

O post Porto Alegre oferece tratamento para tabagismo apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Pessoas interessadas em parar de fumar podem procurar as unidades de saúde da Capital, que oferecem tratamento em grupos de apoio ou individual. Para chamar a atenção quanto aos males que o cigarro pode causar, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) se une a parceiros internacionais nesta sexta-feira, 31, motivada pelo Dia Mundial sem Tabaco. Neste ano, o tema da campanha é Tabaco e saúde respiratória. A proposta é conscientizar sobre as múltiplas formas nas quais a exposição ao fumo afeta a saúde respiratória em todo o mundo. As campanhas contribuem para a conscientização da população quanto aos danos fatais do consumo do tabaco e da exposição de não tabagistas ao fumo passivo.

>> Governo quer cobrar de indústrias do cigarro gastos com fumantes

Desde o final de 2017, 100% das unidades de saúde estão capacitadas a oferecer tratamento contra o fumo. Em 2014, a capital gaúcha liderava o ranking geral de fumantes do país, registrando 16,5% de tabagistas em sua população. Em 2016, perdeu o posto para Curitiba, caindo para a segunda colocação, e agora ocupa o terceiro lugar. Conforme o coordenador do Programa Municipal de Combate ao Tabagismo, Roberto Bauer, alguns fatores podem explicar essa redução no número estimado de fumantes em Porto Alegre. Segundo dados da SMS, em 2014 menos da metade das unidades de saúde ofereciam tratamento especializado ao fumante.

>> Um terço das mortes por câncer poderia ser evitada com hábitos saudáveis

Foi voltando para casa depois de mais um dia de trabalho que Turibio Antunes, 62, percebeu que o vício cultivado desde os 12 anos de idade deveria chegar ao fim. “Naquele momento, o cigarro me venceu. Na metade do caminho, subindo uma lomba já percorrida milhares de vezes, fui obrigado a deitar no chão para recuperar o ar”, afirma Turibio, que há oito anos se tornou um dos primeiros pacientes a aderirem ao tratamento no grupo antitabagismo desenvolvido na Unidade de Saúde Modelo.

De acordo com a enfermeira e coordenadora do grupo de combate ao tabagismo da Unidade de Saúde Modelo, Thaís Carvalho, a experiência exitosa de Turibio, que não voltou a fumar após o tratamento, se deve ao tipo de atendimento oferecido. “O diagnóstico é feito individualmente, porém, a terapia é coletiva, fazendo com que o contato com outros pacientes diminua o sentimento de exclusão, próprio dos vícios”, explica. Em 2015, os usuários tratados para parar de fumar em Porto Alegre somavam 2.068. Já em 2017, os números mais que dobraram, alcançando 4.387 usuários.

Tratamento – Pessoas interessadas em obter informações a respeito do tratamento pelo Sistema  Único de Saúde (SUS) na Capital devem procurar a unidade de saúde de referência ou acessar o aplicativo #EuFaçoPOA na funcionalidade Quero Parar de Fumar. É necessário baixar o aplicativo no celular, disponível nos sistemas Android e iOS. Após o cadastro, a unidade de saúde receberá a informação de que há pessoas que desejam parar de fumar naquela área de abrangência. Será feito contato com o usuário para agendar consulta de avaliação.

O cidadão poderá ser tratado em grupo ou individualmente, conforme as diretrizes do Programa Municipal de Combate ao Tabagismo.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

O post Porto Alegre oferece tratamento para tabagismo apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/porto-alegre-oferece-tratamento-para-tabagismo/feed/ 0
Campanha da gripe termina sexta (31); a partir de segunda todos podem se vacinar https://www.saudegaucha.com/geral/campanha-da-gripe-termina-sexta-31-a-partir-de-segunda-todos-podem-se-vacinar/ https://www.saudegaucha.com/geral/campanha-da-gripe-termina-sexta-31-a-partir-de-segunda-todos-podem-se-vacinar/#respond Thu, 30 May 2019 00:46:13 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2572 O público prioritário para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza tem até o final desta semana, 31 de maio, para se vacinar com exclusividade. A partir do dia 03 de junho, as doses restantes da campanha ficarão disponíveis para toda a população. Até esta quarta-feira, 44,6 milhões de pessoas que buscaram os postos […]

O post Campanha da gripe termina sexta (31); a partir de segunda todos podem se vacinar apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>

>> Com custo a partir de R$ 50, vacina contra a gripe 2019 já está disponível

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 90% do público-alvo, composto por 59,4 milhões de pessoas. Até esta quarta-feira (29), dois estados já bateram a meta de 90%: Amazonas (94,4%) e Amapá (94,7%). Outros estados estão bem próximos e já ultrapassaram os 85%: Pernambuco (89,6%), Minas Gerais (86,7%), Espírito Santo (85,7%) e Alagoas (85,5%). Já os estados com menor cobertura são: Rio de Janeiro (57,6%) Acre (64,9%) e São Paulo (65,4%). Em todo o país, a campanha permanece com uma estrutura formada por cerca de 41,8 mil postos de vacinação e com a participação de aproximadamente 196,5 mil pessoas.

>> Conheça as vacinas contra gripe aprovadas para 2019

Entre a população prioritária, os funcionários do sistema prisional registraram a maior cobertura vacinal, com 94,2% de cobertura, seguido pelas puérperas (91%), indígenas (86,7%), idosos (85,3%) e professores (82,8%). Os grupos que menos se vacinaram foram os profissionais das forças de segurança e salvamento (32,2%), população privada de liberdade (50,4%), pessoas com comorbidades (66,6%), crianças (69,9%), gestantes (70,8%) e trabalhadores de saúde (72,9%).

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

Casos de gripe no Brasil
Neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante no país é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 407 casos e 86 óbitos.

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza teve início no dia 10 de abril em todo o país. No primeiro momento, foram priorizadas as crianças e gestantes. A vacinação está aberta para todos os públicos desde o dia 22 de abril e encerra no dia 31 de maio.

Tratamento da gripe
Todos os estados estão abastecidos com o fosfato de oseltamivir e devem disponibilizá-lo de forma estratégica em suas unidades de saúde. Para o atendimento do ano de 2019, o Ministério da Saúde já enviou aproximadamente 9,5 milhões de unidades do medicamento aos estados. O tratamento deve ser realizado, preferencialmente, nas primeiras 48h após o início dos sintomas.

Tabela de cobertura vacinal por UF – Dados até 29 de maio

Estado População Doses aplicadas Cobertura
Rondônia 430.942 362.832 84,20
Acre 242.134 157.071 64,87
Amazonas 1.134.938 1.104.950 97,36
Roraima 193.706 154.557 79,79
Pará 2.095.999 1.583.041 75,53
Amapá 203.313 192.567 94,71
Tocantins 423.089 325.939 77,04
Maranhão 1.877.403 1.537.420 81,89
Piauí 905.543 690.051 76,20
Ceará 2.563.445 1.991.930 77,71
Rio Grande do Norte 993.277 805.646 81,11
Paraíba 1.185.997 979.287 82,57
Pernambuco 2.644.685 2.368.797 89,57
Alagoas 876.935 749.921 85,52
Sergipe 567.774 439.347 77,38
Bahia 4.107.807 2.949.064 71,79
Minas Gerais 6.077.516 5.273.007 86,76
Espirito Santo 1.053.545 903.102 85,72
Rio de Janeiro 4.902.445 2.824.851 57,62
São Paulo 13.477.738 8.809.624 65,36
Paraná 3.352.193 2.750.127 82,04
Santa Catarina 1.987.390 1.490.109 74,98
Rio Grande do Sul 3.829.699 2.843.790 74,26
Mato Grosso do Sul 801.907 597.378 74,49
Mato Grosso 859.343 678.544 78,96
Goiás 1.862.979 1.487.589 79,85
Distrito Federal 817.939 597.784 73,08
BRASIL 59.469.681 44.648.325 75,08

  

Público alvo População Vacinas aplicadas Cobertura 2019
Crianças 15.517.389 10.844.225 69,88
Trabalhador de Saúde 5.034.422 3.670.779 72,91
Gestantes 2.144.182 1.518.050 70,80
Puérperas 352.354 320.658 91,00
Indígenas 696.151 603.475 86,69
Idosos 20.892.014 17.819.665 85,29
Professores – Ensino Básico e Superior 2.344.819 1.941.950 82,82
Comorbidades 10.767.903 7.166.767 66,56
População Privada de Liberdade 756.589 381.785 50,46
Funcionários do Sistema Prisional 113.362 106.822 94,23
Policiais Civis, Militares, Bombeiros e membros ativos das Forças Armadas 850.496 274.149 32,23
Total 59.469.681 44.648.325 75,08


Fonte: Ministério da Saúde

O post Campanha da gripe termina sexta (31); a partir de segunda todos podem se vacinar apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/campanha-da-gripe-termina-sexta-31-a-partir-de-segunda-todos-podem-se-vacinar/feed/ 0
Acidentes de trânsito deixaram mais de 1,6 milhão feridos em 10 anos https://www.saudegaucha.com/geral/acidentes-de-transito-deixaram-mais-de-16-milhao-feridos-em-10-anos/ https://www.saudegaucha.com/geral/acidentes-de-transito-deixaram-mais-de-16-milhao-feridos-em-10-anos/#respond Wed, 29 May 2019 17:00:46 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2531 Os acidentes no trânsito deixaram mais de 1,6 milhão de brasileiros feridos nos últimos dez anos, e representaram um custo de cerca de R$ 2,9 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS). As informações estão em levantamento divulgado dia 23/5 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) com base em dados do Ministério da Saúde.Os […]

O post Acidentes de trânsito deixaram mais de 1,6 milhão feridos em 10 anos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Os acidentes no trânsito deixaram mais de 1,6 milhão de brasileiros feridos nos últimos dez anos, e representaram um custo de cerca de R$ 2,9 bilhões para o Sistema Único de Saúde (SUS). As informações estão em levantamento divulgado dia 23/5 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) com base em dados do Ministério da Saúde.Os dados apurados revelam também que entre 2009 e 2018 houve um aumento de 33% na quantidade de internações por desastres nas ruas e estradas.>> Mortes no trânsito no Estado caem 7,6% em 2018

Na avaliação do diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e membro da Câmara Técnica do CFM, Antônio Meira, esses acidentes já são considerados um dos principais problemas de saúde pública do país.

“Além de provocar sobrecarga no serviço com aumento da ocupação dos leitos hospitalares, causa um prejuízo irreparável quando ocorre uma morte ou uma pessoa fica incapacitada para suas atividades habituais, como também traz prejuízo enorme para a saúde pública”, detalha o diretor.

>> Porto Alegre é destaque nacional por reduzir mortes no trânsito

Internações
O levantamento assinala que o número de internações no SUS por desastres nas ruas e estradas do Tocantins saltaram de 60 em 2009 para 1.348 em 2018. Pernambuco também teve crescimento significativo passando de 845 para 6.969.

Em alguns estados houve queda no número de internações. O Maranhão reduziu em 40% as internações por acidentes de transporte nos últimos dez anos, seguido por Rio Grande do Sul (22%) e Paraíba (20%).

>> Trânsito mata mais de 1,3 milhão de pessoas todos os anos, diz OMS

São Paulo e Minas Gerais lideram o ranking de gastos federais com atendimentos por desastres nas ruas e estradas. Em 2018, o gasto de São Paulo foi de R$ 57 milhões e de Minas Gerais, de R$ 29 milhões.

O integrante do CFM, Antônio Meira, explica que as internações de vítimas de acidente de trânsito são mais onerosas. “As internações por acidente de trânsito são mais onerosas do que por outros tipos de doenças porque no geral são politraumatizados, precisam de cirurgias complexas, ortopédicas, neurológicas, precisam ficar em UTIs”.

Perfil
Entre as vítimas graves do tráfego no período de 2009 a 2018, os dados apontam que 60% dos casos são de pessoas entre 15 e 39 anos. Os maiores de 60 anos representam 8,4% do total e a faixa etária até os 14 anos representa 8,2%. Os principais acidentados são os homens (80%).

>> Metade das mortes de jovens ocorre por causas evitáveis

Prevenção
Em relação à prevenção dos acidentes relacionados ao trânsito, Antônio Meira diz que grande parte deles são provocados por fatores passíveis de serem evitados – como desrespeito às leis de trânsito, dirigir sob efeito de álcool e drogas, excesso de velocidade e não usar equipamentos de segurança como cinto e capacete. O diretor ressalta que para a prevenção é importante que haja campanhas de conscientização permanentes e fiscalização, além de ser necessário melhorar a infraestrutura das vias.

Campanha Maio Amarelo
Neste mês de maio ocorre a sexta edição da Campanha Maio Amarelo, que tem como tema “No trânsito, o sentido é a vida”.

>> Pesquisadores do Clínicas apresentam dispositivos para fiscalização de trânsito

O movimento é internacional e chama a atenção para o alto índice de mortes e feridos no trânsito com o intuito de estimular os condutores, pedestres e passageiros optarem por um trânsito mais seguro. O laço amarelo é o símbolo do movimento.

Fonte: Agência Brasil

O post Acidentes de trânsito deixaram mais de 1,6 milhão feridos em 10 anos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/acidentes-de-transito-deixaram-mais-de-16-milhao-feridos-em-10-anos/feed/ 0
Médicas geneticistas gaúchas são premiadas em Congresso Latino Americano https://www.saudegaucha.com/geral/medicas-geneticistas-gauchas-sao-premiadas-em-congresso-latino-americano/ https://www.saudegaucha.com/geral/medicas-geneticistas-gauchas-sao-premiadas-em-congresso-latino-americano/#respond Fri, 24 May 2019 11:00:19 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2555 O estudo sobre a glicogenose tipo IX, um grupo de doenças raras, realizado pelos médicos geneticistas brasileiros foi reconhecido no Congresso Latino Americano de Erros Inatos do Metabolismo, que ocorreu de 12 a 15 de maio, em Buenos Aires, na Argentina. Com 180 trabalhos científicos apresentados, o grupo triunfou na categoria Clínicos e mostrou a […]

O post Médicas geneticistas gaúchas são premiadas em Congresso Latino Americano apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
O estudo sobre a glicogenose tipo IX, um grupo de doenças raras, realizado pelos médicos geneticistas brasileiros foi reconhecido no Congresso Latino Americano de Erros Inatos do Metabolismo, que ocorreu de 12 a 15 de maio, em Buenos Aires, na Argentina. Com 180 trabalhos científicos apresentados, o grupo triunfou na categoria Clínicos e mostrou a importância e a relevância das pesquisas metabólicas no Brasil.

– Além da premiação, foi interessante estar presente e dialogar com os demais colegas sobre os temas deste ano: a triagem neonatal e as doenças metabólicas hereditárias. Este tipo de contato, qualifica a Genética Médica e nos permite partilhar conhecimento – comentou a médica geneticista e membro da Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM), Carolina Fischinger Moura, que integrou a equipe premiada.

Bibiana Melo de Oliveira recebeu o prêmio em nome da equipe. Foram premiadas, além dela, Carolina Fischinger Moura, Fernanda Sperb, Tassia Tonon, Bruna Santos, Lilia Refosco e Ida Vanessa Schwartz. Todos assinaram o trabalho “História Natural da Glicogenose IX: um estudo multicêntrico brasileiro.

A SBGM ressalta, também, a importância de congressos na America Latina para melhor integração das sociedades médicas, tendo em vista alguns desafios semelhantes que são enfrentados na área do conhecimento em genética médica e sua formação na América Latina.

Fonte: Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM)

O post Médicas geneticistas gaúchas são premiadas em Congresso Latino Americano apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/medicas-geneticistas-gauchas-sao-premiadas-em-congresso-latino-americano/feed/ 0
Confirmadas duas mortes por influenza no Estado https://www.saudegaucha.com/geral/confirmadas-duas-mortes-por-influenza-no-estado/ https://www.saudegaucha.com/geral/confirmadas-duas-mortes-por-influenza-no-estado/#respond Thu, 16 May 2019 01:45:54 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2486 A Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS) registrou nesta semana os dois primeiros casos de óbito por gripe. Tratam-se de dois idosos, de 71 e 79 anos, residentes em São Gabriel e Barra do Ribeiro, respectivamente. Os diagnósticos foram confirmados pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) para os tipos de vírus influenza A-H1N1 e […]

O post Confirmadas duas mortes por influenza no Estado apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
A Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS) registrou nesta semana os dois primeiros casos de óbito por gripe. Tratam-se de dois idosos, de 71 e 79 anos, residentes em São Gabriel e Barra do Ribeiro, respectivamente. Os diagnósticos foram confirmados pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) para os tipos de vírus influenza A-H1N1 e A-H3N2.

>> Vacina da gripe: um combate às doenças e à desinformação

O caso mais recente dos óbitos ocorreu no último dia 11, em São Gabriel, com um idoso de 71 anos que contraiu o tipo de vírus A-H1N1. Anteriormente, em 2 de maio, a mulher de 79 anos, residente em Barra do Ribeiro, morreu após ficar internada na capital e teve diagnóstico para H3N2.

Ambos procuraram atendimento após apresentar sintomas de desconforto respiratório, com tosse, dor de garganta e febre. Os dois precisaram ser transferidos para leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e chegaram a iniciar o tratamento preconizado com o antiviral oseltamivir (de nome comercial Tamiflu). Nenhum deles chegou a ser vacinado neste ano, já que as internações ocorreram antes do início da campanha de vacinação para os idosos.

Os dois tinham ainda fatores de risco. O morador de São Gabriel era diabético, enquanto a residente em Barra do Ribeiro tinha uma imunodeficiência crônica.

>> Com custo a partir de R$ 50, vacina contra a gripe 2019 já está disponível

Até esta quarta-feira (15), foram registrados nove casos pelos três tipos de vírus influenza, sendo esses óbitos entre eles.

A campanha de vacinação contra a gripe vai até 31 de maio. Mais de 2,3 milhões de gaúchos se vacinaram até o momento. Mas ainda restam cerca de 1,5 milhão de pessoas que devem se proteger contra os três tipos de vírus da gripe mais frequentes (A-H1N1, A-H3N2 e B).

Para a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, o fato reforça a importância da vacinação para os grupos considerados prioritários. “Os óbitos alertam para a necessidade de as pessoas se vacinarem, principalmente as crianças, que tiveram uma das menores coberturas até agora”, disse.

Vacinação com 60% de cobertura até o momento
A campanha de vacinação contra a gripe neste ano iniciou em 10 de abril para as crianças e gestantes e em 22 de abril para os demais grupos. As mais de 2,3 milhões de doses aplicadas até agora representam 60% de cobertura. A meta é chegar a 90% em cada grupo. “A vacina da gripe é 100% segura”, frisa a secretária Arita.

Grupo prioritário: doses aplicadas (cobertura)
– Crianças (maiores de 6 meses e menores de 6 anos): 410 mil (56%)
– Gestantes: 61,6 mil (58%)
– Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto): 13,4 mil (77%)
– Trabalhador da saúde: 193 mil (61%)
– Indígenas: 16,7 mil (66%)
– Idosos: 1,1 milhão (73%)
– Professores: 83,3 mil (76%)
– População privada de liberdade: 12,2 mil (33%)
– Funcionários sistema prisional: 3,8 mil (72%)
– Doentes crônicos: 427 mil (44%)
– Policiais e militares: 17 mil (42%)
Total no RS: 2.301.962 (60%)

Fonte: SES/RS

O post Confirmadas duas mortes por influenza no Estado apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/confirmadas-duas-mortes-por-influenza-no-estado/feed/ 0