Gestão – Saúde Gaúcha https://www.saudegaucha.com Informação para gestores e profissionais de saúde. Thu, 13 Jun 2019 19:57:25 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.1.1 https://www.saudegaucha.com/wp-content/uploads/2018/10/Saúde-Gaúcha-Favicon-2-100x100.png Gestão – Saúde Gaúcha https://www.saudegaucha.com 32 32 Novo Hamburgo e Feevale assinam contrato na saúde https://www.saudegaucha.com/gestao/novo-hamburgo-e-feevale-assinam-contrato-na-saude/ https://www.saudegaucha.com/gestao/novo-hamburgo-e-feevale-assinam-contrato-na-saude/#respond Thu, 13 Jun 2019 19:38:22 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2753 Um importante passo para a saúde no município foi dado na manhã desta quinta-feira, 13, quando foi assinado contrato entre a Prefeitura de Novo Hamburgo e a Universidade Feevale. O Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (Coapes) formaliza as ações de integração entre o ensino e os diversos espaços de assistência à saúde no município. […]

O post Novo Hamburgo e Feevale assinam contrato na saúde apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Um importante passo para a saúde no município foi dado na manhã desta quinta-feira, 13, quando foi assinado contrato entre a Prefeitura de Novo Hamburgo e a Universidade Feevale. O Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (Coapes) formaliza as ações de integração entre o ensino e os diversos espaços de assistência à saúde no município.

A assinatura foi no gabinete da prefeita Fátima Daudt que recebeu, ao lado do vice-prefeito, Dr. Antônio Fagan, e do secretário de Saúde, Naasom Luciano, o reitor da Feevale, Cleber Prodanov, o coordenador do curso de Medicina da Feevale, Cléber Ribeiro Álvares da Silva, e o diretor do Instituto de Ciências da Saúde, César Teixeira, e outros representantes da universidade e da administração de pública.

Trata-se de uma iniciativa que contempla os princípios éticos em benefício de alunos do curso de Medicina e de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) hamburguenses. Na prática, isso significa a atuação de estudantes da Feevale na rede pública de saúde, com uma contrapartida da instituição de ensino com o investimento de valores expressivos na qualificação de profissionais da rede pública de saúde além da construção de um prédio, que será o anexo 3 do Hospital Municipal, num investimento de R$ 10 milhões (para a infraestrutura) e R$ 756.592,00 para os cursos de formação continuada.

No que se refere aos funcionários da saúde que serão beneficiados com os cursos, haverá critérios para seleção, como explica o coordenador do Núcleo de Educação em Saúde Coletiva (Numesc), Paulo Luchesi.

Inseridos na rotina de unidades de saúde
Desde a implantação do curso de Medicina pela Feevale, em 2017, os alunos estão inseridos nas unidades de saúde do município, acompanhando a rotina e os procedimentos. A partir de 2021, ao alcançar a maturidade e o progresso na sua capacitação, passarão a atuar como médicos residentes. “É a comunidade de Novo Hamburgo quem mais ganha com essa iniciativa, teremos profissionais formados em nossa Universidade, que tanto nos enche de orgulho, atendendo nossa população”, disse a prefeita Fátima Daudt.

Ela ainda destacou o trabalho conjunto entre Prefeitura e Feevale, implantado desde o início de sua gestão para tornar a assinatura desse contrato possível. “O dia de hoje é um marco para a história da saúde em Novo Hamburgo, um passo que vai fortalecer o futuro” completou a prefeita.

O reitor da Feevale, Cleber Prodanov, falou de sua satisfação em poder integrar um contexto que se torna tão especial diante da situação da área da saúde de um modo geral. “Desempenhamos um papel social muito importante e precisamos dar retorno, ao formar um profissional e devolvê-lo à comunidade capacitado. Essa parceria é um caminho difícil, dependendo de muitos fatores, mas também é a prova de que é possível”, assegurou Prodanov. Para o presidente da Aspeur, mantenedora da Feevale, Roberto Cardoso, a assinatura do contrato deve ser duplamente celebrada, já que neste ano, a instituição de ensino completa 50 anos.

O vice-prefeito, Dr. Antônio Fagan, reforçou a ideia do reitor ao citar a importância da academia e da qualificação profissional, para estimular o entendimento do funcionário acerca da importância de seu trabalho. “É muito gratificante presenciar este envolvimento e essa iniciativa, pois temos o comprometimento de muitas pessoas em um setor que não pode parar para ser organizado, tudo segue, o tempo todo”, pontuou Fagan.

Ao pensar no futuro da saúde em Novo Hamburgo, Naasom Luciano comemora a existência de um legado que, segundo ele, começou hoje com a construção de um novo tempo. Trata-se, diz o secretário, de um passo que fortalece uma relação entre o poder público e a iniciativa privada em prol da população que vai usufruir dos serviços e contar com mais qualidade de vida. “A saúde em Novo Hamburgo passa a ser dividida entre antes e depois do curso de Medicina da Feevale”, disse o secretário municipal de Saúde.

Fonte: Prefeitura de Novo Hamburgo 

O post Novo Hamburgo e Feevale assinam contrato na saúde apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/novo-hamburgo-e-feevale-assinam-contrato-na-saude/feed/ 0
53 municípios do RS podem receber 71 médicos do Mais Médicos https://www.saudegaucha.com/gestao/53-municipios-do-rs-podem-receber-71-medicos-do-mais-medicos/ https://www.saudegaucha.com/gestao/53-municipios-do-rs-podem-receber-71-medicos-do-mais-medicos/#respond Mon, 10 Jun 2019 00:39:13 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2689 Os profissionais considerados aptos a participar do 18º ciclo do Programa Mais Médicos já podem indicar os municípios onde têm interesse em trabalhar. Além da lista dos médicos, o Ministério da Saúde também divulgou, nesta sexta-feira (7), a relação de municípios disponíveis para que eles possam indicar até quatro localidades. Para isso, os médicos devem […]

O post 53 municípios do RS podem receber 71 médicos do Mais Médicos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Os profissionais considerados aptos a participar do 18º ciclo do Programa Mais Médicos já podem indicar os municípios onde têm interesse em trabalhar. Além da lista dos médicos, o Ministério da Saúde também divulgou, nesta sexta-feira (7), a relação de municípios disponíveis para que eles possam indicar até quatro localidades. Para isso, os médicos devem ficar atentos ao cronograma, já que terão entre os dias 7 a 10 de junho, até 12h, para acessar o site maismedicos.gov.br e fazer suas indicações.

Para atuarem nas cidades com os maiores índices de vulnerabilidade social do país, além dos Distritos Sanitários Indígenas, estão sendo oferecidas aos médicos 2.149 vagas em 1.130 municípios nos 26 estados do país, exceto o Distrito Federal, além de 13 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIS). O número final de vagas foi estabelecido após os gestores locais confirmarem a quantidade necessária de profissionais para atendimento em suas unidades de saúde.

Conforme consta no edital nº11/2019, esta primeira fase do 18º ciclo do programa priorizou a participação de profissionais formados e habilitados com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Brasil. Além disso, para garantir a imparcialidade na escolha de médicos qualificados, preferencialmente com perfil de atendimento para a Atenção Primária, o Ministério da Saúde estabeleceu critérios de classificação, como títulos de Especialista e/ou Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade.

Caso haja vagas remanescentes da primeira etapa, as oportunidades serão estendidas, em uma segunda fase, aos profissionais brasileiros formados em outros países e que já tenham habilitação para o exercício da Medicina no exterior. Os profissionais interessados em participar do Programa Mais Médicos tiveram entre os dias 27 e 29 de maio para se inscrever.

A previsão para que os médicos comecem a atuar nas unidades de saúde é junho deste ano.

Municípios que poderão receber profissionais do programa, caso os inscritos se interessem por atuar nessas localidades:
Nome do município – Número máximo de vagas que poderão ser preenchidas, dependendo do interesse do profissional médico
ACEGUÁ – 1
ALECRIM – 3
ALVORADA – 4
BAGÉ – 2
BARRA DO RIBEIRO – 1
BARROS CASSAL – 1
CANDIOTA – 2
CAPÃO DO CIPÓ – 1
CHUI – 1
CRISTAL – 1
ENTRE‐IJUíS – 1
EREBANGO – 1
ERVAL GRANDE – 1
ERVAL SECO – 1
ESPUMOSO – 3
FORMIGUEIRO – 2
FORTALEZA DOS VALOS – 1
GENERAL CÂMARA – 1
ITAARA – 1
TACURUBI – 1
ITAQUI – 1
JAGUARÃO – 2
JARI – 1
LAGOA VERMELHA – 1
MACHADINHO – 1
MAXIMILIANO DE ALMEIDA – 1
MORRO REDONDO – 1
NONOAI – 1
PEDRO OSÓRIO – 1
PEJUCARA – 1
PINHEIRINHO DO VALE – 1
PLANALTO – 1
PORTO LUCENA – 1
PORTO MAUÁ – 1
PUTINGA – 1
RS QUATRO IRMÃOS – 1
REDENTORA – 1
RESTINGA SECA – 1
RIO DOS ÍNDIOS – 1
RIO PARDO – 2
SALDANHA MARINHO – 1
SANTA MARGARIDA DO SUL – 1
SANT’ANA DO LIVRAMENTO – 2
SANTIAGO 4 – 1
SANTO AUGUSTO – 1
SÃO BORJA – 3
SÃO PEDRO DO SUL – 1
SÃO SEPÉ – 1
SEBERI – 1
TRINDADE DO SUL – 1
TUPANCIRETÃ – 4
URUGUAIANA – 1
VIAMÃO – 1
Total: 71

Cronograma Mais Médicos – Profissionais 
→ Publicação de inscrições validadas: 07/06/2019

→Escolha das vagas disponibilizadas: 07 a 10/06/2019 até 12h (horário de Brasília)

Clique aqui para conferir todas as fases do cronograma (site do Ministério da Saúde)

Cronograma  Mais Médicos – Gestores 
→Publicação de resultado de municípios aderidos ao programa: 07/06/2019

→Apresentação dos médicos nos municípios e início das atividades: 24 a 28/06/2019

Clique aqui para conferir todas as fases do cronograma (site do Ministério da Saúde)

Fonte: Ministério da Saúde

O post 53 municípios do RS podem receber 71 médicos do Mais Médicos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/53-municipios-do-rs-podem-receber-71-medicos-do-mais-medicos/feed/ 0
Até 2020, Canoas terá nove unidades de saúde atendendo até 22h https://www.saudegaucha.com/gestao/2652/ https://www.saudegaucha.com/gestao/2652/#respond Thu, 06 Jun 2019 21:59:19 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2652 A Prefeitura de Canoas anunciou a inauguração de nove Clínicas de Saúde da Família. O projeto é que o paciente realize consultas, exames, terapias e faça tratamentos para doenças crônicas sem precisar fazer grandes deslocamentos ou buscar outros serviços. Com mais médicos e profissionais de saúde, as nove clínicas irão dar nova cara aos atendimentos […]

O post Até 2020, Canoas terá nove unidades de saúde atendendo até 22h apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>

A Prefeitura de Canoas anunciou a inauguração de nove Clínicas de Saúde da Família. O projeto é que o paciente realize consultas, exames, terapias e faça tratamentos para doenças crônicas sem precisar fazer grandes deslocamentos ou buscar outros serviços. Com mais médicos e profissionais de saúde, as nove clínicas irão dar nova cara aos atendimentos e irão facilitar o acesso da população, já que também vão atender durante a noite. Até agosto, três unidades já estarão funcionando no novo formato, após passarem por obras.

>> Para ampliar o atendimento primário, país terá unidades de saúde até 22h

A primeira Clínica da Saúde da Família de Canoas será inaugurada em junho, no bairro Guajuviras. Ela irá complementar os serviços que eram oferecidos pela Unidade Básica de Saúde do bairro. Após passar por uma ampla reforma, que dobrou o tamanho da estrutura do prédio, o local está recebendo os ajustes finais para abrir as portas à população. Nos meses seguintes, entram em funcionamento as Clínicas de Saúde da Família Estância Velha e São Vicente. Em 2020, serão inauguradas as clínicas Mathias Velho, Niterói, Rio Branco, Mato Grande, Santa Isabel e União.

>> Governo dará incentivo para que postos funcionem à noite

Nas clínicas de saúde da família, os canoenses terão consultas clínicas e odontológicas, curativos, atendimentos ambulatoriais, exames, grupos de educação em saúde, vacinação, testes rápidos, psicólogo, assistente social, nutricionista, distribuição de medicamentos e marcação de consultas. Os agendamentos serão diários, onde a equipe atenderá os canoenses que chegarem à Unidade de Saúde.

>> Porto Alegre entrega a quarta unidade de saúde com atendimento até 22h

O que são Clínicas de Saúde da Família?
São unidades de saúde que irão integrar pronto-atendimento e atenção básica. O paciente poderá ir à unidade quando sentir dores, febres ou fazer tratamento para doenças crônicas, como hipertensão e diabetes.

Quais tratamentos as Clínicas irão oferecer?
As Clínicas de Saúde da Família reunirão diversos tipos de atendimentos em um único lugar. Além disso, em comparação com a UBS, o atendimento será estendido. Hoje, as Unidades Básicas fecham às 17h. Como Clínicas de Saúde da Família, os pontos ficarão abertos até as 22h. Serão cinco horas a mais, de segunda-feira a sexta-feira, para o cidadão cuidar da saúde.

O que a população irá ganhar? 
Mais serviços, mais especialidades médicas e a possibilidade de fazer, em um só lugar, diversos tipos de atendimento. A Clínica de Saúde da Família é mais que uma UPA e mais que uma UBS. É a união das duas unidades para prestar atendimento integral ao cidadão.

Quais serviços as Clínicas de Saúde da Família irão oferecer?
Consultas clínicas e odontológicas, curativos, atendimentos ambulatoriais, exames, grupos de educação em saúde, vacinação, testes rápidos, psicólogo, assistente social, nutricionista, distribuição de medicamentos e marcação de consultas.

Que profissionais irão trabalhar nas Clínicas?
médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, agentes comunitários de saúde, psicólogos, nutricionistas, assistentes sociais, dentistas, auxiliares e técnicos de saúde bucal.

Fonte: Prefeitura de Canoas

O post Até 2020, Canoas terá nove unidades de saúde atendendo até 22h apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/2652/feed/ 0
Porto Alegre lança edital de saúde para PAs da Lomba do Pinheiro e Bom Jesus https://www.saudegaucha.com/geral/porto-alegre-lanca-edital-de-saude-para-pas-da-lomba-do-pinheiro-e-bom-jesus/ https://www.saudegaucha.com/geral/porto-alegre-lanca-edital-de-saude-para-pas-da-lomba-do-pinheiro-e-bom-jesus/#respond Wed, 17 Apr 2019 14:11:58 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2467 A prefeitura vai ampliar e melhorar o serviço de saúde nos pronto-atendimentos dos bairros Lomba do Pinheiro e Bom Jesus. O edital de chamamento público para gestão das unidades foi lançado nesta terça-feira, 16, e publicado no Diário Oficial do Município. O contrato prevê aumento do número de leitos de observação de 25 para 44 […]

O post Porto Alegre lança edital de saúde para PAs da Lomba do Pinheiro e Bom Jesus apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
A prefeitura vai ampliar e melhorar o serviço de saúde nos pronto-atendimentos dos bairros Lomba do Pinheiro e Bom Jesus. O edital de chamamento público para gestão das unidades foi lançado nesta terça-feira, 16, e publicado no Diário Oficial do Município. O contrato prevê aumento do número de leitos de observação de 25 para 44 (76% a mais), incremento de mais de 5 mil atendimentos por mês, farmácia e serviço social com funcionamento 24 horas e remoção de pacientes por ambulância de forma mais ágil e eficiente.

“Vamos entregar o que há de melhor na saúde de maneira pública e gratuita. Não há como ser contra um projeto que melhora o atendimento à população e amplia o volume de entregas com um custo semelhante ou menor para a gestão municipal”, afirma o prefeito Nelson Marchezan Júnior.

O edital prevê ainda melhoria das áreas físicas, suporte de diagnóstico em sala de observação, oferta de exames de ecografia nas salas de emergência, aumento da cartela de exames laboratoriais e qualificação de fluxos e do acesso segundo as normas do Ministério da Saúde.

A organização social vencedora deverá qualificar em até seis meses a estrutura dos locais, o que poderá transformá-los em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e, com isso, habilitá-los a  receber recursos do Ministério da Saúde e do governo estadual. O valor é de até R$ 1 milhão – o que possibilita redução de 25% no custeio municipal.

A prefeitura gasta atualmente com a manutenção dos serviços cerca de R$ 4 milhões por mês. As estruturas da Lomba do Pinheiro e do Bom Jesus possuem 199 profissionais, que poderão ser remanejados para as demais unidades da rede de urgência e emergência, suprindo o déficit existente no Hospital de Pronto Socorro, Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas e Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul, por exemplo.

A abertura dos envelopes do edital de chamamento público está prevista para o dia 3 de junho. O início das atividades da nova gestora das unidades de saúde deve ocorrer no início do segundo semestre.

Critérios técnicos – O secretário municipal de Saúde, Pablo Stürmer, explica que os critério de apreciação da organização social que será contratualizada por meio do edital serão técnicos. “Nosso foco é nas pessoas, sem nunca descuidar da qualidade. A avaliação dos serviços prestados e o pagamento por esse trabalho serão feitos mediante o cumprimento de indicadores de resultados quantitativos e qualitativos. Se a organização não entregar um bom trabalho, ela não receberá por isso”, destaca.

O vereador André Carús, presidente da Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Câmara Municipal, ressalta que a população terá um atendimento de excelência gratuito e público. “Ir contra esse tipo de ação é trabalhar na contramão dos serviços essenciais aos cidadãos. Quem ganha são as pessoas”, frisa.

Também participaram do evento o vice-prefeito Gustavo Paim; o secretário de Comunicação, Orestes de Andrade J.r; secretário de Infraestrutura e Mobilidade Urbana em exercício, Marcelo Gazen; os vereadores Nelcir Tessaro e Moisés Barbosa; presidente do Tribunal de Justiça Militar, coronel Paulo Roberto Mendes Rodrigues; presidente da Associação Médica do RS (Amrigs), Alfredo Floro Cantalice Neto; presidente da Associação Hospitalar Vila Nova, Dirceu Beltrame Dal’Molin; representante do Grupo Hospitalar Conceição, Jean Russowski; secretário- geral do Simers, Marco Rovinski; e o diretor-geral do Hospital Restinga e Extremo-Sul, Paulo Fernando Scolari.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

O post Porto Alegre lança edital de saúde para PAs da Lomba do Pinheiro e Bom Jesus apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/geral/porto-alegre-lanca-edital-de-saude-para-pas-da-lomba-do-pinheiro-e-bom-jesus/feed/ 0
Para ampliar o atendimento primário, país terá unidades de saúde até 22h https://www.saudegaucha.com/gestao/para-ampliar-o-atendimento-primario-pais-tera-unidades-de-saude-ate-22h/ https://www.saudegaucha.com/gestao/para-ampliar-o-atendimento-primario-pais-tera-unidades-de-saude-ate-22h/#respond Tue, 09 Apr 2019 16:05:34 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2355 Por Charles Vilela, do saudegaucha.com Nos próximos dias, o Ministério da Saúde deverá anunciar o projeto para a extensão no horário de funcionamento em unidades de saúde de todo o país que tenham grande fluxo de atendimento. O objetivo é facilitar e ampliar o acesso, a cobertura e a resolutividade na saúde primária. Os postos […]

O post Para ampliar o atendimento primário, país terá unidades de saúde até 22h apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Por Charles Vilela, do saudegaucha.com

Nos próximos dias, o Ministério da Saúde deverá anunciar o projeto para a extensão no horário de funcionamento em unidades de saúde de todo o país que tenham grande fluxo de atendimento. O objetivo é facilitar e ampliar o acesso, a cobertura e a resolutividade na saúde primária. Os postos considerados elegíveis receberão um valor mensal do Governo Federal para bancar o novo serviço. Para isso, já estão reservados cerca de R$ 700 milhões, sendo R$ 150 milhões para serem aplicados este ano e o restante, R$ 550 milhões, para 2020. A outra parte o custeio deverá ser financiada pelo município interessado.

>> Com novo status, Atenção Primária será o eixo central na política de saúde do país

Desde março de 2017, Porto Alegre oferece o atendimento com horário estendido, batizado de programa Saúde Noite e Dia – uma proposta de campanha do prefeito Nelson Marchezan Júnior, que está servindo de projeto-piloto para a implantação da ação com alcance nacional. Atualmente, quatro unidades de saúde que funcionam até 22h e a meta é chegar a oito – acrescendo mais quatro unidades ao número atual – ainda em 2020.

Para o coordenador-geral da Atenção Primária na Secretaria da Saúde de Porto Alegre, Thiago Frank, se tantas pessoas se deslocam diretamente para o atendimento especializado, a atenção primária não está funcionando adequadamente
Para o coordenador-geral da Atenção Primária na Secretaria da Saúde de Porto Alegre, Thiago Frank, se tantas pessoas se deslocam diretamente para o atendimento especializado, a atenção primária não está funcionando adequadamente (Foto: Cristine Rochol/PMPA)

Os resultados dos dois anos da experiência gaúcha, que agora será incorporada pelo Ministério da Saúde como política nacional, são encorajadores. Um dos feitos mais significativo da proposta está na redução da busca por atendimento em serviços de média complexidade como as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e os prontos-socorros. “Termos um índice entre 70 e 80% de classificação de demanda azul ou verde (ambas consideradas de baixo risco) nestes serviços é um sinal de falência da atenção primária”, opina o coordenador-geral da área na Secretaria da Saúde de Porto Alegre, Thiago Frank. “Se tantas pessoas se deslocam diretamente para o atendimento especializado (pronto atendimentos ou prontos-socorros), sabendo que podem ter que esperar por tempos longos, a atenção primária não está funcionando adequadamente.”

Os casos sem gravidade contribuem significativamente para a lotação dos serviços de média complexidade. Algumas situações poderiam ser solucionadas plenamente numa unidade básica de saúde. Deste modo, o horário estendido surge como uma alternativa para esse problema, com a proposta de facilitar o acesso e oferecer acolhimento imediato. “Não há necessidade de agendamento prévio para consultar e isso dá agilidade para a solução dos casos agudos, pois nem sempre a necessidade é clínica, às vezes é administrativa, como a retirada de um atestado ou a renovação de uma receita”, destaca.

Proposta oferece um novo conceito para o acesso aos serviços de saúde
Numa primeira análise, a ideia de estabelecer um novo turno de atendimento pode parecer simples, mas um olhar mais apurado dos dados mostra que a iniciativa vai muito além de ampliar em algumas horas à noite o serviço nas unidades de saúde – que, via de regra, funcionam até 17h. E a principal delas está no fato de que as pessoas que trabalham durante o dia – percentual que representa a maior parte da força de laboral ativa – tenham uma disponibilidade maior para resolver suas demandas de saúde em turno distinto ao do horário em que trabalham, nesse caso, à noite. Além disso, o atendimento noturno não se restringe à população específica do território em que a unidade de saúde está instalada, regulação esta que ocorre no período diurno.

Segundo levantamento da secretaria, realizado em três unidades de saúde com horário estendido, entre dezembro de 2017 e março de 2018, o número de homens atendidos é superior em mais de 10% em relação aos atendimentos deste público realizados durante o dia, embora as mulheres continuem representando a maior parte da procura, e também se note um aumento da demanda do público feminino durante à noite. Estudos internacionais apontam que não há diferença quantitativa relevante em relação à procura de homens e mulheres por serviços de saúde até os 5 anos de idade – quando as mães são as responsáveis por facilitar o acesso – e após os 70 anos. Já em idade laboral a disparidade aumenta: mulheres procuram com maior frequência os serviços de saúde. A extensão de horário tem se mostrado uma alternativa interessante para nivelar essa desproporção.

Segundo a SMS de Porto Alegre, dados mostram que o percentual de homens procuram o serviço de saúde à noite é maior do que durante o dia
Segundo a SMS de Porto Alegre, dados mostram que o percentual de homens procuram o serviço de saúde à noite é maior do que durante o dia (Fonte: SMS Porto Alegre)

Já o absenteísmo – que é o não comparecimento em consultas agendadas –, neste caso é zero. Isso porque, no turno estendido, não há fichas ou agendamentos. O acolhimento é feito por ordem de chegada, mediante a disponibilidade da equipe. No caso de o usuário necessitar de um segundo atendimento – como o encaminhamento a um especialista ou a um exame – o processo também é feito na hora.

No horário noturno são oferecidos os mesmos serviços que a unidade de saúde dispõe durante o dia, mas itens como vacinas e testagem para sífilis e HIV, por exemplo, têm um acréscimo de procura à noite. Isso se explicaria pela tendência que as pessoas têm em procurar a unidade próxima para esse tipo de atendimento e por se sentirem menos expostas durante a noite. “É uma forma de se fazer uma testagem mais anonimizada, ou totalmente anônima, se houver interesse do usuário”, destaca Frank. Dados da SMS apontam que em uma das unidades, o Posto Modelo, que fica próximo ao centro da cidade e atende mais de 30 mil pessoas, nas quatro horas funcionamento à noite são feitos mais testes rápidos para HIV e sífilis do que nas outras dez horas de atendimento durante o dia.

Alto índice de satisfação e captação de novos usuários para primeiro acesso
Desde o início do serviço, as quatro unidades somam mais de 85 mil atendimentos para 44 mil pessoas, entre procedimentos médicos, de enfermagem, curativos, cirúrgicos e odontológicos. Frank estima que entre 15% e 20% desse público – algo entre 6,6 mil e 8,8 mil usuários – não teria procurado a unidade de saúde no horário tradicional de funcionamento, durante o dia. Do total de atendimentos, 69 mil (77,52%) foram feitos por profissionais com formação superior: 53 mil procedimentos médicos, 17 mil de enfermagem e dez mil de odontologia.

De acordo com o coordenador, muitas vezes o usuário tem dificuldade de definir com precisão se sua situação pela qual está passando é grave ou não, e não quer esperar o dia seguinte para buscar o atendimento temendo que os sintomas se agravem. Por isso, é comum a busca pelo pronto-atendimento durante à noite para casos de menor gravidade como diarreia, resfriado, gripe ou dor de cabeça. Esses casos geralmente são classificados de baixo risco e geram espera por atendimento que pode chegar a horas. Ele percebeu isso em conversas com pacientes na assistência que realizou de forma voluntária durante cerca de seis meses em unidade com horário diferenciado, quando foi possível compreender a percepção dos usuários em relação ao serviço. “É importante ressaltar que não se trata da ideia de o usuário procurar o lugar errado, mas de entendermos que a pessoa se direciona para onde ela encontra alternativa de atendimento. Se é somente determinado serviço que ela tem disponível naquele momento, é o que ela vai procurar”, avalia.

Uma pesquisa realizada nos três primeiros meses do serviço no Posto Modelo, um dos mais movimentados da cidade, a avaliação foi “boa” ou “ótima” para 92% dos entrevistados. Já o índice de resolutividade dos casos – em que a situação não precisou de um novo encaminhamento na rede pública de saúde – chegou a 89%. Durante o horário tradicional de atendimento, esse índice de solução dos casos não passa de 85% na mesma unidade.

Custo extra é bancado principalmente pelo município
Para estender o horário nas unidades de saúde, a Prefeitura de Porto Alegre teve que buscar mais profissionais para manter à noite o mesmo formato do atendimento que é realizado durante o dia. O custo extra com essas contratações vem, em parte, de recursos próprios, e, sempre que possível, da habilitação de equipes de Estratégia de Saúde da Família junto ao Ministério da Saúde. O município não tem encontrado dificuldade para contatar os profissionais para suprir a demanda extra de atendimento, como enfermeiros, auxiliares de enfermagem e dentistas. Facilidade que não acontece em relação aos profissionais médicos.

Para a escolha dos locais, dois critérios principais foram utilizados: ter uma estrutura física razoável ou adequada para acolher o tamanho da equipe – que é de pelo menos três profissionais –, e estar localizado em área de grande circulação de pessoas e com acesso fácil. As quatro unidades com o horário estendido estão localizadas em gerências distritais, que são a base de organização territorial da regionalização da saúde no município. As outras quatro unidades novas que estarão em funcionamento até o próximo ano deverão seguir esse mesmo perfil quanto aos critérios de escolha. A Secretaria da Saúde diz que, devido à demanda enorme de pessoas que têm buscado o atendimento estendido, pretende acelerar a inauguração dos demais serviços.

Proposta, que tem se mostrado eficaz, tende a modificar conceitos como o de territorialidade
A experiência aponta para a necessidade de uma reflexão da gestão pública de saúde, observando que, se existe a demanda, é importante que se oferte uma alternativa de atendimento. “A unidade com o turno estendido permite ajudar no cuidado, no nível de gravidade certo, quando a pessoa precisa e no local mais perto de sua casa”, resume Frank. Essa necessidade aponta, inclusive para uma reconstrução da lógica de atendimento limitado somente ao território, com o entendimento de que o acesso se dê mais baseado na relação onde a pessoa quer ou pode consultar, do que somente onde ela reside. “Creio que a Atenção Primária vá caminhar no sentido de termos listas de pacientes de acordo com a capacidade de acolhimento da unidade, do que essa limitação se dar somente por questões territoriais”, disse. “Essas pessoas podem morar em qualquer lugar na cidade, mas serem atendidas em outro de sua preferência, com a Vigilância em Saúde sendo feita por território.”

Para Frank, quando a pessoa busca o atendimento é porque ela realmente precisa; e as dificuldades para o usuário buscar atendimento são maiores durante o dia
Para Frank, quando a pessoa busca o atendimento é porque ela realmente precisa; e as dificuldades para o usuário conseguir o acesso são maiores durante o dia (Foto: Cristine Rochol/PMPA)

Assim, limitar o acesso apenas por critério de base territorial, pode burocratizar ou dificultar o acolhimento. “Quando a pessoa busca o atendimento é porque ela realmente precisa. Vejo que temos algumas barreiras de território, em certos casos uma dificuldade de relacionamento com o profissional, ou uma logística de vida difícil para o usuário”, disse. “Estas dificuldades se tornam maiores (para o usuário) durante o dia. Dependendo do tempo de espera, muitas vezes determinada consulta nem é mais necessária.”

Para o coordenador, a procura das pessoas pelo serviço será o principal marcador para que o governo federal possa medir a importância do projeto que será lançado nos próximos dias. “É uma proposta alinhada às melhores evidências e melhores práticas de atenção primária no mundo, algo que tem se mostrado extremamente positivo pelos resultados que temos obtido”, disse.

PROGRAMA NOITE E DIA – Porto Alegre tem quatro unidades do Programa Saúde Noite e Dia, com horário estendido até as 22h:
– Tristeza (Av. Wenceslau Escobar, 2442 – Tristeza)
– São Carlos (Av. Bento Gonçalves, 6670 – Agronomia)
– Modelo (Av. Jerônimo de Ornelas, 55 – Santana)
– Ramos (Rua K, 131 – Rubem Berta)

O post Para ampliar o atendimento primário, país terá unidades de saúde até 22h apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/para-ampliar-o-atendimento-primario-pais-tera-unidades-de-saude-ate-22h/feed/ 0
Porto Alegre entrega reforma Caps para dependentes de álcool e drogas e amplia leitos https://www.saudegaucha.com/gestao/2241/ https://www.saudegaucha.com/gestao/2241/#respond Tue, 02 Apr 2019 19:52:31 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=2241 Porto Alegre ganhou nesta terça-feira, 2, um Centro de Atenção Psicossocial – Caps AD III moderno e acolhedor para atender pessoas com dependência de álcool e drogas. Ao entrar no prédio, localizado na Avenida Pernambuco, 1.700, no 4º Distrito, o público parece estar em uma galeria de artes ou em uma instalação de co-working. As […]

O post Porto Alegre entrega reforma Caps para dependentes de álcool e drogas e amplia leitos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Porto Alegre ganhou nesta terça-feira, 2, um Centro de Atenção Psicossocial – Caps AD III moderno e acolhedor para atender pessoas com dependência de álcool e drogas. Ao entrar no prédio, localizado na Avenida Pernambuco, 1.700, no 4º Distrito, o público parece estar em uma galeria de artes ou em uma instalação de co-working. As paredes grafitadas pelo artista David Bizer, o pé direito alto e uma equipe altamente preparada para atender quem procura ajuda para se livrar da dependência química são diferenciais que a saúde mental tem buscado em Porto Alegre, conforme destaca o prefeito Nelson Marchezan Júnior. “Este é um atendimento 100% SUS, executado por uma instituição vocacionada. Entregar serviços de qualidade é possível, sim, na máquina pública”, ressaltou.

>> Porto Alegre inaugura primeiro Caps álcool e drogas 24h a céu aberto país

Além da reforma da estrutura, o local aumentou de 10 para 12 os leitos de permanência noturna. A administração será realizada pela Associação Educadora São Carlos (AESC), habilitada por edital de chamamento público. O secretário de Saúde, Pablo Stürmer, lembra que a contratualização dos serviços é o caminho escolhido pela gestão para a prestação de bons serviços e de forma mais ágil à população. “O SUS não precisa ter uma estrutura precária, não precisa ser estatal e pode estar mais perto de quem precisa. Esta é uma diretriz deste governo, e vamos cada vez mais abrir serviços neste formato para quem mais necessita”, destacou.

A presidente do Hospital Mãe de Deus, Irmã Lucia Boniatti, classificou a entrega como uma verdadeira política pública de acolhimento. “Este é um momento em que a gente dá uma resposta efetiva ao povo e responde àquilo que a população vulnerável, excluída, pobre e sem assistência pode receber, com acolhimento num ambiente como este”, frisou. O secretário-adjunto estadual de Segurança Pública, coronel Marcelo Gomes Frota, afirmou que “um espaço assim traz dignidade à pessoa humana”.

O serviços prestados no novo Caps fazem parte do Plano Municipal de Superação da Situação de Rua e do Plano Municipal de Saúde Mental de Porto Alegre. A capital conta hoje com 12 Caps, além do Caps IV (Céu Aberto), inaugurado na última sexta-feira, 29. A previsão é de abertura de mais unidades nas próximas semanas.

Tipos de Caps: 
– Caps AD II – sem leitos, funciona das 8h às 18h
– Caps AD III –12 leitos, recebe pacientes até as 18h, abriga usuários no período noturno, 24 horas
– Caps AD IV – 20 leitos, com psiquiatra e atendimento 24 horas

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre, por Elisandra Borba (texto) e Matheus Miorim Beust (edição) 
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

O post Porto Alegre entrega reforma Caps para dependentes de álcool e drogas e amplia leitos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/2241/feed/ 0
Em dados do 4º trimestre, Porto Alegre relata a realização de 571,7 mil consultas https://www.saudegaucha.com/gestao/em-dados-do-4o-trimestre-porto-alegre-relata-a-realizacao-5717-mil-consultas/ https://www.saudegaucha.com/gestao/em-dados-do-4o-trimestre-porto-alegre-relata-a-realizacao-5717-mil-consultas/#respond Tue, 19 Mar 2019 21:19:11 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=1856 No período de setembro a dezembro de 20148, foram realizadas 356,9 mil consultas área médica

O post Em dados do 4º trimestre, Porto Alegre relata a realização de 571,7 mil consultas apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
As ações, o diagnóstico e o planejamento dos serviços da rede municipal de saúde desenvolvidos de setembro a dezembro de 2018, na Capital, foram apresentados na manhã desta terça-feira, 19, em audiência pública na Câmara Municipal de Porto Alegre. Os dados do relatório de gestão da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no terceiro quadrimestre foram detalhados pelo titular da pasta, Pablo Stürmer, na Comissão de Saúde e Meio Ambiente.

Durante a apresentação, Stürmer falou das obras e avanços nos serviços. “Conseguimos sacramentar a implantação do Hospital Santa Ana, além do Hospital da Restinga, que passou a operar em plena capacidade. Desde sua concepção, o local ainda não tinha chegado à plena operação, com o funcionamento do bloco cirúrgico”, afirma. A secretaria teve um avanço importante na rede de saúde mental, com a ampliação do número de consultas. E a rede como um todo tem provido mais eficiência, tem conseguido prestar mais serviços à população de acordo com o que ela necessita.

No período, foram realizadas 571,7 mil consultas nas 140 unidades de saúde da cidade, sendo 64,9 mil em cirurgião-dentista, 149,8 mil de enfermagem e 356,9 mil na área médica. Com relação a consultas iniciais nos centros de especialidades e hospitais, foram oferecidos 36,6 mil agendamentos e 95,7 mil consultas, respectivamente. Na área de Assistência Farmacêutica, a distribuição de medicamentos foi ampliada em 14%, com 24.659.864 unidades a mais em relação a 2017. O Hospital Materno Infantil Presidente Vargas manteve a média de 192,25 partos por mês. Foram destacadas ainda ações nas áreas de saúde mental, atenção domiciliar, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Hospital de Pronto Socorro (HPS).

A secretaria aumentou em 5 mil o número de exames realizados no quadrimestre, em comparação com o anterior, zerando a fila de mamografia. “Isso tem impacto significativo numa condição importante como o câncer de mama, para se realizar o diagnóstico precoce”, afirmou Stürmer. De acordo com o gestor, os atendimentos prestados no Sistema Único de Saúde, seja com serviços próprios ou contratualizados com prestadores, como o caso da Associação São Carlos, no Hospital Santa Ana, da Associação Divina Providência, no Hospital Independência, ou da Associação Vila Nova, no Hospital da Restinga, têm a preocupação única e exclusiva de oferecer o serviço público dentro do que a população necessita.

Obras – No quadrimestre, foi concluída a obra no bloco cirúrgico do IAPI, que possibilitou pequenos procedimentos, e na Unidade de Saúde Sarandi, em parceria com recursos do Pró-Saúde. “Temos obras importantes em andamento, como no Centro de Saúde IAPI e a Unidade de Saúde Morro dos Sargentos. Vamos licitar ainda outras obras na Restinga e no Centro de Saúde Navegantes”, informa o secretário.

Entre as ações, destaque ainda para a entrega da unidade móvel de saúde, nomeação de mais de 40 novos profissionais para o HPS, assinatura de termo para criação de dois Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas e ampliação dos atendimentos de ortopedia, reduzindo a espera em 50%. Além disso, a Capital qualificou a regulação da saúde, com o monitoramento de 97% dos leitos hospitalares, e controlou o surto de sarampo com ações sistemáticas de vacinação e escolas e espaços comerciais.

Confira a íntegra do relatório de gestão do terceiro quadrimestre, também disponível para consulta no site da SMS.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre, por Vanessa Conte (texto) e Gilmar Martins (edição) 

 

O post Em dados do 4º trimestre, Porto Alegre relata a realização de 571,7 mil consultas apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/em-dados-do-4o-trimestre-porto-alegre-relata-a-realizacao-5717-mil-consultas/feed/ 0
Porto Alegre passa a monitorar 100% dos leitos https://www.saudegaucha.com/gestao/porto-alegre-passa-a-monitorar-100-dos-leitos/ https://www.saudegaucha.com/gestao/porto-alegre-passa-a-monitorar-100-dos-leitos/#respond Tue, 19 Mar 2019 00:05:51 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=1826 Acompanhar o paciente desde a solicitação de internação na rede hospitalar, evolução do caso, transferência e alta pode ser feito em plataforma web unificada. Até o fim de março, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) atinge 100% do monitoramento de leitos hospitalares pelo Sistema Único de Saúde na Capital, o que permite acompanhar toda a movimentação […]

O post Porto Alegre passa a monitorar 100% dos leitos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
Acompanhar o paciente desde a solicitação de internação na rede hospitalar, evolução do caso, transferência e alta pode ser feito em plataforma web unificada. Até o fim de março, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) atinge 100% do monitoramento de leitos hospitalares pelo Sistema Único de Saúde na Capital, o que permite acompanhar toda a movimentação do paciente, da internação à alta, operando de forma integrada aos hospitais.

Tal índice foi possível graças a investimentos em informatização, incluindo o Sistema de Gerenciamento de Internações (Gerint), que começou a operar em janeiro de 2018 na área de regulação. No que se refere ao tempo de espera, 75% dos pacientes obtiveram autorização de acesso ao hospital em menos de 24 horas da solicitação, 12% entre 24 e 48 horas e apenas 13% aguardaram mais de 48 horas. Os dados são relativos a dezembro de 2018.

O sistema mostra uma ampliação de 115% no registro de internações, de 73 mil em 2017 para 158 mil no ano seguinte. De acordo com a Coordenação de Regulação da SMS, pela primeira vez é possível estabelecer a métrica de internações hospitalares. “Hoje, a secretaria consegue acompanhar de perto as internações feitas na cidade, identificando onde estão os leitos livres”, explica o coordenador Jorge Osório.

“O Gerint está plenamente implantado e em constante aperfeiçoamento para regular o acesso às internações do SUS em Porto Alegre”, diz Osório. Entre as funcionalidades, destaca-se o mapa de leitos atualizado, por hospital, o cadastro da solicitação de internação com a evolução diária e a prioridade do caso, conforme as situações mais urgentes.

O protocolo de regulação estabelece como princípios a equidade e a racionalidade na alocação de recursos, disponibilizando a alternativa assistencial mais adequada à necessidade da população. “Consideramos critérios como estabilidade e gravidade do paciente, bem como o suporte oferecido no serviço onde a pessoa recebe o primeiro atendimento”, comenta. O tempo-resposta necessário e o parecer médico também são avaliados.

Inovação – O Gerint faz parte do Sistema de Informações para o Complexo Regulador, desenvolvido pela prefeitura, por intermédio da Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) e da SMS. “A capital gaúcha pode ser considerada referência em qualidade, equidade, inovação e transparência nas ações e estratégias de regulação do acesso à assistência e transição do cuidado”, avalia o secretário municipal de Saúde, Pablo Stürmer.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre, por Vanessa Conte (texto) e Andrea Brasil (edição)

O post Porto Alegre passa a monitorar 100% dos leitos apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/porto-alegre-passa-a-monitorar-100-dos-leitos/feed/ 0
Centenário vira referência em oncologia para mais sete municípios e cobra aumento de financiamento https://www.saudegaucha.com/gestao/centenario-vira-referencia-em-oncologia-para-mais-sete-municipios-e-cobra-aumento-de-financiamento/ https://www.saudegaucha.com/gestao/centenario-vira-referencia-em-oncologia-para-mais-sete-municipios-e-cobra-aumento-de-financiamento/#respond Thu, 14 Mar 2019 03:08:24 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=1747 O Hospital Centenário  agora é referência em Oncologia para mais sete municípios, além dos 18 para os quais presta o serviço nesta especialidade.  O encaminhamento da Secretaria Estadual de Saúde, comunicando o acréscimo na demanda, foi feito no dia 28 de fevereiro, mesmo sem o aporte de novos recursos. Preocupados com a situação, prefeitos e […]

O post Centenário vira referência em oncologia para mais sete municípios e cobra aumento de financiamento apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
O Hospital Centenário  agora é referência em Oncologia para mais sete municípios, além dos 18 para os quais presta o serviço nesta especialidade.  O encaminhamento da Secretaria Estadual de Saúde, comunicando o acréscimo na demanda, foi feito no dia 28 de fevereiro, mesmo sem o aporte de novos recursos. Preocupados com a situação, prefeitos e secretários de Saúde convidaram o secretário de Saúde de São Leopoldo, Ricardo Charão, e a presidenta do Hospital, Lilian Silva, para a reunião da Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (AMVARS), que ocorreu na manhã desta quarta-feira, dia 13.

Para que se entenda o caso, é importante explicar que a resolução da  Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que agrega aos 18 municípios já referenciados ao Centenário, as cidades de Morro Reuter, Sapiranga, Araricá, Santa Maria do Herval, Lindolfo Collor, Nova Hartz e Presidente Lucena, é de  julho de 2018. Desde então, a instituição de São Leopoldo tem buscado, junto ao Governo Federal, ampliação de recursos, para dar conta da nova demanda, o que foi negado pelo Ministério da Saúde, sob alegação de restrição orçamentária.

Atualmente, o Centenário  recebe apenas R$ 473 mil, do Ministério da Saúde,  para prestar o serviço, que inclui consultas, cirurgias, radioterapia e quimioterapia.  Segundo o secretário Ricardo Charão, o Município solicitou o aporte mensal de mais R$ 337 mil, que foi negada.  “Somos referência para 850 mil pessoas, precisamos ampliar os recursos para garantir o reequilíbrio financeiro”, enfatizou Charão. “O Centenário tem capacidade instalada para atender os atuais e os novos municípios referenciados, o problema não é a estrutura, mas os recursos, que são insuficientes para receber novos pacientes e garantir tratamento integral aos pacientes, complementou Lilian.

O Hospital Centenário tem uma despesa mensal de R$ 9 milhões, recebe do Governo do Federal R$ 2,3 milhões e do Estado R$ 255 mil, ou seja, apenas 2,83% do custo total. O restante, cerca de R$ 6 milhões, tem sido arcado pelo caixa do Município.

Fonte: Prefeitura de São Leopoldo 

O post Centenário vira referência em oncologia para mais sete municípios e cobra aumento de financiamento apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/centenario-vira-referencia-em-oncologia-para-mais-sete-municipios-e-cobra-aumento-de-financiamento/feed/ 0
Estado irá liberar R$ 25 milhões para a Saúde em projetos da Consulta Popular https://www.saudegaucha.com/gestao/estado-ira-liberar-r-25-milhoes-para-a-saude-em-projetos-da-consulta-popular/ https://www.saudegaucha.com/gestao/estado-ira-liberar-r-25-milhoes-para-a-saude-em-projetos-da-consulta-popular/#respond Wed, 06 Mar 2019 17:56:13 +0000 http://www.saudegaucha.com/?p=1714   O governo estadual, por meio da Secretaria de Governança e Gestão Estratégica (SGGE), irá liberar a quantia de R$ 25.298.705,33 milhões para a área da Saúde dos municípios do Rio Grande do Sul. As verbas são relativas à Consulta Popular 2018 para serem executadas no orçamento de 2019. O montante, que equivale a 100% […]

O post Estado irá liberar R$ 25 milhões para a Saúde em projetos da Consulta Popular apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
 

O governo estadual, por meio da Secretaria de Governança e Gestão Estratégica (SGGE), irá liberar a quantia de R$ 25.298.705,33 milhões para a área da Saúde dos municípios do Rio Grande do Sul. As verbas são relativas à Consulta Popular 2018 para serem executadas no orçamento de 2019.

O montante, que equivale a 100% das demandas votadas na área, será destinado para implantar 260 projetos com o enfoque em saúde da família e regionalização da saúde, como compra de ambulâncias, novos equipamentos para hospitais, obras de melhorias de infraestrutura em leitos, entre outros. Os benefícios abrangem 211 municípios em 26 regiões dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes).

As prefeituras devem entregar seus projetos, com a documentação completa, em suas respectivas Coordenadorias Regionais da Saúde, para que os valores sejam liberados. O prazo vai até o dia 18 de abril.

Segundo o secretário da SGGE, Claudio Gastal, a verba está empenhada e será encaminhada conforme a apresentação dos projetos. “A Consulta Popular está consolidada há mais de 20 anos no Estado. Manteremos os pontos positivos em relação a definição de orçamentos para os projetos regionais e participação popular. Em nossa gestão, ampliaremos a ferramenta para que ela contribua para a avaliação de políticas públicas. Os Coredes também serão parceiros nesse sentido”, disse.

Na Consulta Popular de 2018, os projetos da Saúde tiveram 253.462 mil votos dos eleitores. Ao todo, foram computados 794 mil votos.

Histórico

Instituída em 1998, a Consulta Popular é um instrumento de participação da sociedade, que define parte dos investimentos que constarão no Orçamento do Estado. Anualmente, o governo fixa o valor que será submetido à deliberação da população. A quantia é distribuída entre as regiões de acordo com critérios como quantidade de habitantes e Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese).

Confira a relação completa dos projetos eleitos na Consulta Popular para a área da Saúde e os municípios que serão beneficiados clicando aqui.

Outras informações sobre a Consulta Popular podem ser acessadas aqui.

Fonte: Governo do Estado do RS 

O post Estado irá liberar R$ 25 milhões para a Saúde em projetos da Consulta Popular apareceu primeiro em Saúde Gaúcha.

]]>
https://www.saudegaucha.com/gestao/estado-ira-liberar-r-25-milhoes-para-a-saude-em-projetos-da-consulta-popular/feed/ 0