Saúde Gaúcha
Informação para gestores e profissionais de saúde.

- Publicidade -

- Publicidade -

São Leopoldo garante recursos para Laboratório que é referência para 15 municípios

0

O ano começou com outra boa notícia para a saúde de São Leopoldo. Além dos repasses do Estado conquistados pela via judicial, a Prefeitura garantiu em 2019 a habilitação do Laboratório Municipal de São Leopoldo como integrante da Rede Estadual para Monitoramento Terapêutico da Infecção pelo HIV. Na prática, o Serviço de Assistência Especializada (SAE) de São Leopoldo assegurou o repasse financeiro da União por ser referência para 15 municípios da região nos testes de carga viral (CV) e exame de contagem de linfócitos (CD4/CD8). A cada ano, o laboratório realiza, em média, 11 mil testes dessa natureza para pessoas com HIV.

Justiça bloqueia mais de 2 milhões do Estado para a saúde de São Leopoldo

A partir de agora, com o ressarcimento, São Leopoldo terá um aporte próximo de R$ 200 mil por ano na saúde. “Desde o início da gestão, há dois anos, estávamos pleiteando esse recurso que nada mais é do que uma obrigação da União. Era um dinheiro que saia do caixa da Prefeitura para subsidiar exames de toda a região”, explica o secretário da Saúde Ricardo Charão.

Vanazzi expõe crise do Centenário em reunião na SES

A diretora do SAE, Ana Lúcia Massulo, acredita que a conquista qualificará o serviço não só do laboratório, mas da rede de saúde como um todo. “Isso é um estímulo ao trabalho, nos qualifica tecnicamente. Abre espaço para melhoras continuadas, pois abre novas perspectivas com recurso assegurado”.

Único habilitado no Estado

“Isso foi como um troféu para nós”, assim resumiu a biomédica Solange Biegelmeyer, uma das responsáveis pela adaptação do espaço. Os exames já eram realizados há mais de quatro anos em São Leopoldo. No entanto, somente agora o laboratório conseguiu o reconhecimento oficial, que garante o repasse dos recursos federais. O local é o único modelo descentralizado de Porto Alegre que recebeu habilitação em todo o Rio Grande do Sul. Para se tornar referência da região, o espaço seguiu uma lista de exigências do Ministério da Saúde. “Tudo aqui passou por inspeção, desde uma pipeta utilizada nos exames até a disposição das máquinas, a abertura das janelas: tudo segue um rígido padrão”, ressaltou.

Prefeitos do Vale do Sinos buscam solução para atrasos na saúde

A rapidez é fator preponderante na avaliação do ministério. E esse quesito é plenamente contemplado em São Leopoldo. O exame de carga viral é entregue em até 12 horas e o de contagem de linfócitos é entregue em 6 horas. “Nos casos de HIV, a agilidade na resposta de um exame pode significar a diferença entre a vida e a morte. E o nosso objetivo é preservar vidas”, destacou a diretora Ana.

Sobre o SAE

Localizado na rua Osvaldo Aranha, 779, no Centro de São Leopoldo, o Serviço de Assistência Especializada (SAE) possui laboratório com tecnologia de ponta para diagnóstico e acompanhamento de doenças infecto-contagiosas como Hepatite, sífilis, tuberculose e HIV. O local é referência para 823 mil pessoas dos seguintes municípios: Araricá, Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha, Ivoti, Lindolfo Collor, Morro Reuter, Nova Hartz, Novo Hamburgo, Portão, Presidente Lucena, Santa Maria do Herval, São Leopoldo, Sapiranga e São José do Hortêncio.

Leia também:

Envie um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.