Saúde Gaúcha
Informação para gestores e profissionais de saúde.

- Publicidade -

- Publicidade -

Unidades de Saúde recebem pentavalente para diversas doenças

0

As unidades de saúde do SUS receberão um novo lote da vacina pentavalente, com 42 mil doses. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, em comunicado do dia 21/01/20, em Porto Alegre e nas cidades da Região Metropolitana a entrega já foi feita. Para os municípios do interior, a previsão é que a distribuição esteja finalizada até sexta-feira (24/01/20).

A vacina pentavalente garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta.

A primeira dose é prevista aos 2 meses de idade e, a partir dela, as demais com intervalo mínimo de 30 dias, sendo que recomenda-se 60 dias entre as doses. Quem deixou de tomar alguma dose na idade recomendada pode ser vacinado a qualquer momento, respeitando o intervalo de tempo previsto.

A vacina passou por um período de indisponibilidade na rede desde o ano passado, devido a um desvio de qualidade identificado na sua produção. O atual lote, que é importado, foi neste ano liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após aprovação em testes de qualidade pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).

A quantidade já recebida nestas primeiras semanas do ano correspondem a aproximadamente duas vezes a média mensal utilizada no Estado. A criança – independentemente da idade – que não tomou uma ou mais doses previstas no calendário deve ser levada à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima para poder colocar em dia sua carteira de vacinação.

O QUE É A VACINA PENTAVALENTE?
A vacina pentavalente é a combinação de cinco vacinas individuais em uma. O objetivo é proteger as pessoas contra múltiplas doenças ao mesmo tempo. As crianças devem tomar três doses da vacina: aos 2, aos 4 e aos 6 meses de vida.

QUAIS DOENÇAS A VACINA PENTAVALENTE PROTEGE?
A vacina pentavalente garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta.

QUEM DEVE TOMAR A VACINA PENTAVALENTE?
A vacina pentavalente é aplicada nas crianças aos 2, 4 e 6 meses de idade. Os reforços e/ou complementações em crianças a partir de 1 ano são realizados com a vacina adsorvida difteria, tétano e pertússis (DTP).

A VACINA PENTAVALENTE PODE CAUSAR REAÇÕES?
A vacina pentavalente pode provocar algumas reações, geralmente entre as primeiras 48 a 72 horas após a aplicação. Na maioria das vezes são reações leves, que passam rápido e não deixam sequelas. As principais reações são febre, irritabilidade e dores locais.

QUAIS OS CUIDADOS DEVEMOS TER AO TOMAR A VACINA PENTAVALENTE?
Ao sentir febre média ou alta: é recomendado adiar a vacinação até a melhora dos sintomas para não se atribuir à vacina as manifestações da doença. Crianças com riscos de hemorragias (hemofilia, trombocitopenia, uso de anticoagulantes, outros distúrbios de coagulação): pode ser utilizado via subcutânea.

QUEM NÃO PODE TOMAR A VACINA PENTAVALENTE?
Crianças com 7 anos ou mais de idade. Após reações em dose anterior, como moleza e palidez nas primeiras 48 horas, convulsões nas primeiras 72 horas, reações alérgicas nas primeiras duas horas e encefalopatia aguda nos primeiros sete dias após a vacinação. 

Por saudegaucha.com, com informações da SES/RS e do Ministério da Saúde

Envie um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp chat